Livros

Livros de CATIA DAL MOLIN

Mestre em História pela UPF, de Passo Fundo, pesquiso, escrevo e organizo livros e projetos sobre a cultura dos nossos antepassados italianos. Conheça os últimos livros publicados:

Redescobrindo o Vêneto - eBook

(RE)DESCOBRINDO O VÊNETO:  dicas e informações práticas para a sua viagem

Língua: Português | Textos: Catia Dal Molin | Ebook digital

(RE)DESCOBRINDO O VÊNETO é um guia com informações básicas, práticas e muito importantes para ajudar você que quer conhecer a Região do Vêneto, na Itália.  Escolhi o Vêneto para morar e me especializei nessa incrível região da Itália.

O objetivo deste guia não é “mostrar” todos os lugares dessa linda terra chamada Vêneto, até porque eu quero acompanhar você pessoalmente nessa descoberta ao vivo, não somente virtualmente, como já faço há muitos anos nas minhas redes sociais,  mas sim dar algumas ferramentas necessárias, dicas, informações, curiosidades e sugestões de quem mora e conhece muito bem essa terra,  para que você possa conhecer melhor alguns aspectos e usufruir ao máximo a sua viagem. (RE)DESCOBRINDO O VÊNETO com certeza vai surpreender você!  

Senza Ritorno a emigração italiana para o Brasil

Lingua: Português/Italiano/talian

Editora: Pallotti, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil

Desenhos: Almário

Livro para crianças que conta a história da emigração italiana para o Brasil vista pelo emigrante “Naso”.

Esgotado.

Senza ritorno - livro
Mordaça Verde e Amarela

Mordaça Verde e Amarela: imigrantes e descendentes no Estado Novo

Lingua: Português | Editora: Pallotti, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil | Organizadora: Catia Dal Molin | Textos: Dilse Corteze, René Gertz, Ângelo Christoffoli, Catia Dal Molin, Maria Catarina Zanini e Lenir Agostini

Em Agosto de 1942, cinco navios mercantes brasileiros foram afundados no litoral do Brasil por submarinos nazistas e provocaram a morte de 607 pessoas. Nas cidades onde havia a presença de populações de origem alemã e italiana como em Santa Maria – RS, o resultado não demorou a acontecer. A população brasileira armou-se de fúria e tratou de começar a guerra contra o nazifascismo por conta própria. Insuflada por lideranças nacionalistas, a população de Santa Maria, na noite do dia 18 de Agosto de 1942, passou a depredar todos os locais que identificava como de propriedades de alemães e italianos. Bastava identificar um nome, numa placa de armazém, de hotel ou de igreja, que fosse ou se assemelhasse à língua italiana ou alemã para que a massa passasse a depredar e saquear como se estivessem diante de representantes de Hitler ou Mussolini.

Fatos como as depredações em Santa Maria, as prisões por cantar em língua italiana, destruição de símbolos da italianidade, marcaram o imaginário dos descendentes de italianos na região de Santa Maria. O objetivo desta obra é investigar esses episódios e foram reunidos seis ensaios de caráter histórico e antropológico, juntamente com quatro entrevistas com homens que viveram os conturbados acontecimentos, reprodução de artigos de jornal da época, assim como de registros fotográficos de um curta-metragem que se propôs reconstituir este período.

O estudo mostra o retrato de uma dor vivida por seus antepassados, iluminada por rigorosas reflexões, acompanhada de testemunhos e registros históricos. Ao final, além da compreensão do período histórico que produziu o nacionalismo varguista e também os seus desdobramentos na chamada área colonial italiana, a possibilidade do fim de um silêncio a respeito de uma experiência dolorosa que marcou a vida da comunidade ítalo-brasileira no interior do RS.

– Ti tasi sempre ti parli mai 

Lingua: Italiano

Editora: Casa Editrice Bassano, Bassano del Grappa, Itália

Introduzione: Ulderico Bernardi

Textos: Maíra Ines Vendrame,  René Gertz, Renan Borges Gonçalves, Catia Dal Molin, Maria Catarina Chitolina Zanini, Darcy Luzzatto, Alessandro Mocellin.

Uma verdadeira obra de “exumação histórica e cultural” que nos devolve o conhecimento e a consciência de um período histórico esquecido que completa a história da epopéia da emigração veneta para o sul do Brasil, e em particular para o Rio Grande do Sul.

Ti Tasi Sempre ti parli mai - livro
Ti Tazi senpre te parli mai

– Ti tazi senpre te parli mai

Lingua: Italiano/ talian | Editora: Colégio Técnico Industrial da Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil | Introduzione: Ulderico Bernardi | Textos: Maíra Ines Vendrame,  René Gertz, Renan Borges Gonçalves, Catia Dal Molin, Maria Catarina Chitolina Zanini,  Darcy Luzzatto, Alessandro Mocellin.

No final do século XIX, milhares de italianos atravessaram o oceano em busca de trabalho e de uma vida melhor. Muitos deles, de origem veneziana, se estabeleceram no sul do Brasil, onde trouxeram sua língua, cultura e tradições.

Após 1938, sob o governo de Getúlio Vargas, os emigrantes e seus descendentes foram submetidos a severas restrições e punições porque eram considerados como pertencentes a estados que se opunham politicamente ao regime. Foi durante a Segunda Guerra Mundial, quando o Brasil declarou guerra aos países do Eixo, que houve uma sucessão de episódios contra os italianos e seus descendentes: prisão, motins, destruição…. Tensão e medo eram constantes!

A expressão “Ti tasi sempre“, amplamente utilizada por nossos antigos compatriotas, era um convite ao silêncio, já que o silêncio talvez pudesse evitar denúncias, represálias e prisões. A expressão ‘Ti tasi sempre‘ também foi repetida às crianças, para fazê-las entender que, como ainda não sabiam falar português, era melhor ficar quieto. Esta expressão pode ser usada hoje para recontar as frustrações e angústias sofridas naqueles anos por pessoas de origem veneta.

Esgotado.

Redescobrindo o Vêneto - eBook

(RE)DESCOBRINDO O VÊNETO:  dicas e informações práticas para a sua viagem

Língua: Português | Textos: Catia Dal Molin | Ebook digital

(RE)DESCOBRINDO O VÊNETO é um guia com informações básicas, práticas e muito importantes para ajudar você que quer conhecer a Região do Vêneto, na Itália.  Escolhi o Vêneto para morar e me especializei nessa incrível região da Itália.

O objetivo deste guia não é “mostrar” todos os lugares dessa linda terra chamada Vêneto, até porque eu quero acompanhar você pessoalmente nessa descoberta ao vivo, não somente virtualmente, como já faço há muitos anos nas minhas redes sociais,  mas sim dar algumas ferramentas necessárias, dicas, informações, curiosidades e sugestões de quem mora e conhece muito bem essa terra,  para que você possa conhecer melhor alguns aspectos e usufruir ao máximo a sua viagem. (RE)DESCOBRINDO O VÊNETO com certeza vai surpreender você!  

Senza ritorno - livro

Senza Ritorno a emigração italiana para o Brasil

Lingua: Português/Italiano/talian

Editora: Pallotti, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil

Desenhos: Almário

Livro para crianças que conta a história da emigração italiana para o Brasil vista pelo emigrante “Naso”.

Esgotado.

Mordaça Verde e Amarela

Mordaça Verde e Amarela: imigrantes e descendentes no Estado Novo

Lingua: Português | Editora: Pallotti, Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil | Organizadora: Catia Dal Molin | Textos: Dilse Corteze, René Gertz, Ângelo Christoffoli, Catia Dal Molin, Maria Catarina Zanini e Lenir Agostini

Em Agosto de 1942, cinco navios mercantes brasileiros foram afundados no litoral do Brasil por submarinos nazistas e provocaram a morte de 607 pessoas. Nas cidades onde havia a presença de populações de origem alemã e italiana como em Santa Maria – RS, o resultado não demorou a acontecer. A população brasileira armou-se de fúria e tratou de começar a guerra contra o nazifascismo por conta própria. Insuflada por lideranças nacionalistas, a população de Santa Maria, na noite do dia 18 de Agosto de 1942, passou a depredar todos os locais que identificava como de propriedades de alemães e italianos. Bastava identificar um nome, numa placa de armazém, de hotel ou de igreja, que fosse ou se assemelhasse à língua italiana ou alemã para que a massa passasse a depredar e saquear como se estivessem diante de representantes de Hitler ou Mussolini.

Fatos como as depredações em Santa Maria, as prisões por cantar em língua italiana, destruição de símbolos da italianidade, marcaram o imaginário dos descendentes de italianos na região de Santa Maria. O objetivo desta obra é investigar esses episódios e foram reunidos seis ensaios de caráter histórico e antropológico, juntamente com quatro entrevistas com homens que viveram os conturbados acontecimentos, reprodução de artigos de jornal da época, assim como de registros fotográficos de um curta-metragem que se propôs reconstituir este período.

O estudo mostra o retrato de uma dor vivida por seus antepassados, iluminada por rigorosas reflexões, acompanhada de testemunhos e registros históricos. Ao final, além da compreensão do período histórico que produziu o nacionalismo varguista e também os seus desdobramentos na chamada área colonial italiana, a possibilidade do fim de um silêncio a respeito de uma experiência dolorosa que marcou a vida da comunidade ítalo-brasileira no interior do RS.

Ti Tasi Sempre ti parli mai - livro

– Ti tasi sempre ti parli mai 

Lingua: Italiano

Editora: Casa Editrice Bassano, Bassano del Grappa, Itália

Introduzione: Ulderico Bernardi

Textos: Maíra Ines Vendrame,  René Gertz, Renan Borges Gonçalves, Catia Dal Molin, Maria Catarina Chitolina Zanini, Darcy Luzzatto, Alessandro Mocellin.

Uma verdadeira obra de “exumação histórica e cultural” que nos devolve o conhecimento e a consciência de um período histórico esquecido que completa a história da epopéia da emigração veneta para o sul do Brasil, e em particular para o Rio Grande do Sul.

Ti Tazi senpre te parli mai

– Ti tazi senpre te parli mai

Lingua: Italiano/ talian | Editora: Colégio Técnico Industrial da Universidade Federal de Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil | Introduzione: Ulderico Bernardi | Textos: Maíra Ines Vendrame,  René Gertz, Renan Borges Gonçalves, Catia Dal Molin, Maria Catarina Chitolina Zanini,  Darcy Luzzatto, Alessandro Mocellin.

No final do século XIX, milhares de italianos atravessaram o oceano em busca de trabalho e de uma vida melhor. Muitos deles, de origem veneziana, se estabeleceram no sul do Brasil, onde trouxeram sua língua, cultura e tradições.

Após 1938, sob o governo de Getúlio Vargas, os emigrantes e seus descendentes foram submetidos a severas restrições e punições porque eram considerados como pertencentes a estados que se opunham politicamente ao regime. Foi durante a Segunda Guerra Mundial, quando o Brasil declarou guerra aos países do Eixo, que houve uma sucessão de episódios contra os italianos e seus descendentes: prisão, motins, destruição…. Tensão e medo eram constantes!

A expressão “Ti tasi sempre“, amplamente utilizada por nossos antigos compatriotas, era um convite ao silêncio, já que o silêncio talvez pudesse evitar denúncias, represálias e prisões. A expressão ‘Ti tasi sempre‘ também foi repetida às crianças, para fazê-las entender que, como ainda não sabiam falar português, era melhor ficar quieto. Esta expressão pode ser usada hoje para recontar as frustrações e angústias sofridas naqueles anos por pessoas de origem veneta.

Esgotado.

Quer comprar um dos livros?
1
Envie uma mensagem pelo formulário ou contate-nos por whatsapp:

    Enviando a sua mensagem você concorda com os nossos termos da Política de Privacidade.

    Quer saber mais sobre o turismo genealógico e os nossos serviços de viagem às origens na Itália? Conheça os nossos serviços:

    INSCREVA-SE NA NEWSLETTER E RECEBA O MODELO
    DE UMA ÁRVORE GENEALOGICA